Em Florianópolis também há criadores do Cavalo Campeiro e o senhor Lauro Stéfani é um deles. Dono do Haras Floripa, localizado no sul da ilha de Santa Catarina, cria Campeiro a vinte e seis anos e optou pela raça, em razão da praticidade, resistência, conforto, rusticidade e beleza física. Seus animais são usados para o laser e para cavalgadas à beira mar, nos finais de semana e nas férias. Já na baixa temporada, é comum vê-lo organizar passeios mais longos para outras localidades, acompanhado dos seus familiares. Outra forma bastante usada pelo senhor Lauro, de divertir-se com seus cavalos, é juntar vários deles, colocando-os em um caminhão especial para o transporte de carga viva e com amigos, subir a serra para passar finais de semana, percorrendo trilhas e coxilhas.

Em Florianópolis é comum o serviço de aluguel de cavalos, que é oferecido pelos vários haras espalhados por toda a ilha e muitas são as pousadas que costumam divulgar passeios e cavalgadas aos hóspedes e turistas de modo geral.

Criador Lauro Stéfani – Haras Floripa - Garanhão Ébano e o domador Ageu Furtado - Florianópolis

 Nas fazendas, o Campeiro representa papel de destaque. É de fácil  montaria, possuindo muita maciez no andar, com movimentação leve, obediência, inteligência e coragem. Na Fazenda Estância Velha, ele é utilizado para o trabalho diário pelo senhor Renato Almeida e seu filho José Geraldo Almeida. Já para os netos, os cavalos são utilizados para passeios, cavalgadas, provas de rédeas em rodeios regionais ou eventos semelhantes.

Senhor Renato Almeida – Fazenda Estância Velha - Curitibanos

A pureza da raça que por longos anos manteve-se na situação de isolamento, é hoje o mérito maior e um patrimônio a ser preservado. Esse é o fruto do esforço de seus criadores mais antigos e agora também dos novos que aos poucos vão se juntando ao grupo dos admiradores, através da Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Campeiro – ABRACCC, com sede na cidade de Curitibanos.

A associação foi fundada em 1976 através de recursos próprios, tendo como objetivo maior, defender o padrão genético da raça do Cavalo Campeiro. Com o apoio da Secretaria de Agricultura do Estado de Santa Catarina, a raça foi oficializada no Ministério da Agricultura em 1985 e possui livro de registro genealógico oficial da raça, que é brasileira, do sul do país e da região do planalto serrano.